Um pouco sobre o Vale do Loire de Carlos Barroso em Le Tour de Vin

Primeira fotogarfia publicada no artigo Um pouco sobre o Vale do LoireUm pouco sobre o Vale do Loire
de Carlos Barroso publicado em Le Tour de Vin

French River Town de Bonnie Mincu
     A partir de agora está inaugurada a seção “Destinos de Viagem“! Seu objetivo é oferecer um pouco de informação sobre lugares que são referência para o enoturismo. Aqui tentarei falar um pouco sobre as particularidades e especialidades da cidade, país ou região escolhida como tema. Neste mês o tema é o Vale do Loire, região francesa que muito tem a oferecer. Portanto, amigo, se você vai ou planeja ir até lá… Aproveite! Espero que as informações lhe sejam úteis. Caso contrário, se seu destino é outro, mande um e-mail para letourdevin.brasil@gmail.com que terei prazer em escrever sobre o seu destino.
     Ahhh… e se for do seu interesse compartilhar a sua experiência, escreva-me que juntos publicaremos um post sobre a sua viagem.
      Bon Voyage!

         O Rio Loire nasce nas montanhas a oeste de Borgonha e deságua no oceano Atlântico. É o rio mais longo e lento da França, sendo também considerado um dos mais importantes e charmosos pois, ao longo de seu curso, é possível encontrar inúmeros châteaux e castelos. No ano 2000 recebeu o título de patrimônio mundial da Unesco sob a denominação de paisagem cultural.

     O Vale do Loire, que também é chamado de jardim da França, serviu de área de lazer à corte francesa no passado e permanece até hoje como local de férias de muitos franceses, atendendo a todos os que buscam por beleza natural, história, lindos castelos, bons vinhos e boa mesa.

    
     A diversidade de solos do vale aliada as variedades de uvas e ao clima predominatemente frio onde verões quentes e longos são exceções, resulta em vinhos de características e estilos variados que, apesar da influência de Bordeaux e Borgonha, apresentam uma identidade vinícola própria sendo charmosos e frescos feitos, em grande parte, por pequenas famílias produtoras.
     As variedades de uva mais cultivadas são a Sauvignon Blanc, Chenin Blanc, Melon da Bourgogne ou Muscadet, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Pinot Noir e Gamay, com destaque para as primeiras, pois a produção de vinhos brancos representa 52% do total. Hoje, o Vale do Loire é o terceiro maior produtor de vinhos AOC (Appellation d’origine contrôlée) na França, atrás somente de Bordeaux e do Vale do Rhône.

     Para falar um pouco sobre o Vale do Loire podemos, partindo da costa do atlântico para o centro da França, dividi-lo em quatro partes: Pays Nantais, Anjou-Saumur, Touraine e Loire Central.

PAYS NANTAIS
    Situa-se próximo ao oceano atlântico e é a região do Muscadet, um vinho branco, seco, pungente, jovem, frutado, cremoso, fresco, elegante, ácido e, às vezes, um pouco frisante, feito com uma variedade de uva chamada Melon de Bourgogne. Trata-se de um vinho perfeito para acompanhar pratos feitos com frutos do mar ou com um toque de limão, uma das mais felizes harmonizações do mundo gourmet.
    A AOC (Appellation d’origine contrôlée) de maior prestígio é a Muscadet de Sèvre ét Maine sendo que os melhores vinhos possuem a inscrição “Sur Lie” no rótulo que significa que o vinho ficou quatro ou cinco meses em contato com a borra nos barris de fermentação e foi engarrafado sem ser filtrado, processo que dá ao vinho um sabor rico e um leve frisante natural.
    Nantes, a principal cidade, também é famosa pelos frutos do mar e pelo queijo Crémet, feito com leite de cabra.

ANJOU-SAUMUR
    A uva de maior destaque na região é a Chenin-Blanc, uma variedade muito eclética que origina excelentes vinhos, incluindo vinhos doces e botritizados. No entanto, em Anjou, apesar da grande qualidade dos vinhos feitos com Chenin Blanc, a produção de rosés representa mais da metade do total dos vinhos produzidos na localidade, cabendo destacar a fama do Rose d’Anjou e do Cabernet d’Anjou. Já em Saumur, merecem destaque os tintos feitos com Cabernet Franc e os espumantes, que acabam sendo uma opção segura àqueles que desejam qualidade mas não querem ou não podem bancar os custos da Champagne.

     Nesta região, a Chenin Blanc encontra seu ponto alto na AOC Savennières, que origina um vinho branco, seco, meio ácido, aromático e de vida longa. Mas, quando a natureza permite que a uva alcance seu maior ponto de maturação, é possível produzir fantásticos vinhos doces que estão entre os melhores do mundo. Uma AOC de referência é a Coteaux du Layon.
    
TOURAINE
    Região que também se destaca pelos vinhos brancos feitos com Chenin Blanc, em especial os da AOC Vouvray e Montlouis. Mas, em Touraine, a Chenin Blanc não é a única protagonista. É daqui que saem os melhores vinhos tintos do Vale do Loire, mais especificamente das AOC’s Chinon, Bourgueil e Saint-Nicolas de Bourgueil. São vinhos feitos com Cabernet Franc, varietais ou não, tendo em sua composição, no máximo, 10% de Cabernet Sauvignon. São vinhos leves e aromáticos, mas também existem rótulos bastante complexos.
LOIRE CENTRAL
     Loire Central está na parte leste do vale, mais ao centro da França. Aqui os destaques são os vinhos feitos com Sauvignon Blanc, em especial os das AOC’s Sancerre e Pouilly-Fumé. São vinhos com bastante frescor e muito secos que, provavelmente, são os mais famosos de todo o Vale do Loire.
     O Sancerre tem uma acidez cortante e ainda assim consegue demonstrar leveza e um frutado vigoroso. O Pouilly-Fumé é um vinho redondo que chama atenção pelo equilíbrio entre a acidez e a fruta madura, pelas notas minerais e pelo sabor ligeiramente defumado.

Artigo original: Um pouco sobre o Vale do Loire de Carlos Barroso publicado [dia January 27, 2012 at 02:39PM] em .

Republicado por Eno Gastronomo

Anúncios