MAPA DO VINHO – PARTE XXI – FRANÇA – BEAUJOLAIS – GAMMAY de alemdovinho em Além do Vinho

Primeira fotogarfia publicada no artigo MAPA DO VINHO – PARTE XXI – FRANÇA – BEAUJOLAIS – GAMMAYMAPA DO VINHO – PARTE XXI – FRANÇA – BEAUJOLAIS – GAMMAY
de alemdovinho publicado em Além do Vinho

Falar de Beaujolais é necessariamente falar da Gamay, uma fantástica casta nativa da Borgonha. No tempo dos Duques era plantada em todos os locais, depois o chefão baixou normas que proibiam de plantá-la na região que hoje é Cote D’Or e fez bem, assim  deixou a área para os Pinot Noir.

Hoje a Gamay domina a região sul da Borgonha, como toda a uva que produz muito e sendo mal conduzida pode levar a vinhos bastante simples. Bem trabalhada produz vinhos com baixo potencial de taninos, bastante frutada,  aromática e com acidez marcante, alguns produtores a vinificam para que possam ter mais tempo de garrafa. Para mim não importa, gosto dos Beaujolais justamente por serem vinhos novos frutados e excelentes companheiros para longas conversas sem compromisso. Nesta época então é a pedida.

Para os que inexplicavelmente não gostam dos roses este é uma alternativa, tão leve quanto e tão frutado quanto, apenas sem aquela cor e charme que só os roses têm.

O grande segredo destes vinhos é a técnica de vinificação por maceração carbônica onde as uvas são deixadas no tanque para que o peso de umas sobre as outras inicie o processo de fermentação e não por prensas como é o normal, desta maneira são conservados os aromas e a juventude desta uva.

Hoje  plantada na Califórnia, Suiça e até mesmo no Brasil, mas sem alcançar o ápice conseguido em sua terra natal.

Não podemos esquecer do Beaujolais Nouveau. Vinho produzido com a Gamay vinificado e engarrafado o mais breve possível resultando num vinho bastante alegre e despretensioso mais para marcar a festa do primeiro vinho da vindima.

Pena que lançado no mundo todo obteve grande sucesso inicial o mesmo sucesso que o levou a ser produzido em grande quantidade resultando em  vinhos de péssima qualidade que de certa forma marcam negativamente a região. Muitas pessoas ainda associam este estilo de vinho e pior esta uva aos vinhos simples e sem graça.

O trabalho dos sérios produtores agora vai no sentido contrário.

As denominações de origem como Juliénas, Chénas, Moulin-à-Vent, Fleurie, Morgon e  Réginié produzem fantásticos Beaujolais, sérios, bem feitos, elegantes e muito frutados, como disse excelentes companheiros para um boa conversa entre amigos com um petiscos à mesa.

 

Gostar disto:

Be the first to like this .

Artigo original: MAPA DO VINHO – PARTE XXI – FRANÇA – BEAUJOLAIS – GAMMAY de alemdovinho publicado [dia February 21, 2012 at 12:50PM] em .

Republicado por Eno Gastronomo

Anúncios