A Borgonha e seus vinhos de Bacco´s em Oficial

Primeira fotogarfia publicada no artigo A Borgonha e seus vinhosA Borgonha e seus vinhos
de Bacco´s publicado em Oficial

A região da Borgonha tem vivido nos últimos 30 anos, uma fase de grande movimentação e de alterações em suas atividades de produção vitivinícola. Particularmente, a sub-região denominada Côte d’Or tem recebido cada vez mais turistas, apreciadores e especialistas amantes dos vinhos, com os quais procura trocar conhecimentos e experiências com o objetivo de aumentar a qualidade da produção, seja nos aspectos técnicos da viticultura e da vinificação. A meta é a perfeição!

Existe um motivo importante para alegria dos produtores da região: desde o ano de 1985 até agora as safras foram consideradas entre boas e excelentes. Ótima em 1985, de novo em 1988 e 1989, triunfal em 1990, outra vez excelentes em 1991, 1993, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004 e 2005. As safras dos vinhos tintos tem sido exemplares. Mesmo em 1992 e 1994, anos menos promissores, há muito que aproveitar: os vinhos puderam ser degustados mais cedo, permitindo o envelhecimento necessário às outras safras.

Outro fato interessante é que no processo natural de herança de uma geração para outra, as áreas divididas das propriedades têm sido cada vez mais diminuídas, chegando a tal ponto que um reordenamento e compartilhamento das glebas estão visando o restabelecimento dos vinhedos originais. Assim, muitos proprietários de pequenas parcelas têm alugado, arrendado ou vendido seus terrenos para vizinhos ou parentes, passando a atuar como comerciantes regionais.

Junto a este novo comportamento dos produtores e às novas técnicas, encontra-se a modernização dos equipamentos empregados. Novas adegas com controle de temperatura e umidade, novos tanques de fermentação também controlados, permitem aos produtores agirem no ajuste da produção de acordo com os processos que desejam adotar na vinificação.

Por último, deve-se salientar que a arte da vinificação na Borgonha não se resume à criatividade das ações dos mestres vinhateiros na fase de vinificação. Um ótimo vinicultor não conseguirá produzir um vinho de melhor qualidade do que o potencial das uvas o permita. É claro que um mau produtor pode destruir um vinho. No entanto, a matéria prima é fundamental. A regra cardinal atual é a de reduzir a manipulação exagerada nos vinhedos, e também reduzi-la durante a vinificação. Quanto melhor a uva colhida, tanto melhor o vinho.

Por séculos a Borgonha tem produzido alguns dos melhores vinhos do mundo, plenos de tradições, aromas e sabores, e elogiados em todas as partes do mundo onde os vinhos sejam apreciados. As facilidades de acesso proporcionadas pelos rios Rhône, Saône e Yonne levaram até esta região povos colonizadores e comerciantes tais como os gregos e fenícios, que estavam há muito tempo envolvidos com as atividades vitivinícolas. Estes transmitiram aos habitantes primitivos seu gosto pelo vinho, que tiveram o privilégio de ocupar terras extremamente favoráveis ao desenvolvimento de vinhedos que possuíam características bastante particulares.

Artigo original: A Borgonha e seus vinhos de Bacco´s publicado [dia July 10, 2012 at 07:17PM] em .

Republicado por Eno Gastronomo

Anúncios