FRANÇA – GRASSE – LA BASTIDE SAINT ANTOINE de Ricardo Gaffrée em AMIGO GOURMET

Primeira fotogarfia publicada no artigo FRANÇA - GRASSE - LA BASTIDE SAINT ANTOINEFRANÇA – GRASSE – LA BASTIDE SAINT ANTOINE
de Ricardo Gaffrée publicado em AMIGO GOURMET

Finalmente chegamos ao La Bastide Saint Antoine – Jacques Chibois, em Grasse, depois de levar uma queda no banheiro do hotel em Saint-Paul de Vence e estar com o joelho inchado e doendo. 
DJ assumiu a direção do carro e eu de co-piloto com um delicioso saco com gelo no joelho e já no anti-inflamatório. Mas vamos falar de coisas que interessam.
Farei somente um post da excelente experiência gastronômica que tivemos no La Bastide, incluindo café, almoço e jantar!
“Em Grasse, no coração de uma plantação milenária de oliveiras de 5 hectares se encontra o La Bastide Saint Antoine, datado do século 18. Os quartos são divididos em dois ambientes: provençal ou contemporâneo e seu restaurante e seu grande terraço íntimo, com ombrelones, dominam o horizonte e o azul da baía de Cannes acolhendo você para momentos plenos de sabores. 
Jacques e Odette Chibois, propõem uma cozinha ligeira, elegante, que alertará todos os seus sentidos. Em um passeio pelos jardins dessa casa, ou lendo sobre a história do azeite, ou jogando bocha, ou imerso numa Jacuzzi apreciando a paisagem, você vai desfrutar de grandes momentos. 
O La Bastide ainda oferece estadias temáticas: descoberta do vinho, introdução à criação de perfumes, escola do gosto culinário e de aromas. Um endereço calorosamente tênue por um homem apaixonado que pretende transmitir o amor da Provence na Côte d’Azur.” (extraído e adaptado do site: http://www.jacques-chibois.com)
« Ma cuisine est faite de saveurs, de parfums et de légèreté. Elle est aussi personnalisée, élégante, simple précise et laisse une grande place au plaisir, au goût et à la beauté. C’est une cuisine que l’on n’oublie pas, que l’on aime partager, et transmettre en tant qu’ambassadeur d’un certain art de vivre. » (Jacques Chibois)
Inebriados pela beleza do lugar fomos alojados num charmoso quarto em estilo provençal – detalhe da janela de frente para uma oliveira centenária – e descemos direto para o almoço no terraço com uma vista deslumbrante. 
O restaurante estava com uma lotação surpreendente para uma tarde de segunda-feira; pessoal elegantemente vestido, garçons apressados, vários somelliers passando com garrafas de vinhos (contei quatro) e pratos com comidas indo cheios e voltando vazios. E nós com a roupa bem descontraída com que viajamos – eu, por exemplo, de bermuda tipo roupa de Búzios ou Angra … e o joelho inchado!
Decidimos pedir somente entradas para o grand diner, logo mais à noite. Pedi “La Bolognaise de Homard aux Asperges, Coulis de Roquette et Salade”
e DJ “Le Mitonné de Homard, grosses Crevettes en Risotto de Cèpes secs au Champagne”. 
Maravilhosos, mas eu comeria três vezes mais. Sabe aquela comida que a cada garfada você descobre um sabor diferente? Uma erva aromática que nunca provou na sua vida? Uma folhinha que parece rúcula mais não é? Um molho de consistência leve e saborosa?
Pedimos café e veio um pratinho com “mignardises” fantásticas: o “macarron” era de “fraises du bois” e a pequena bolinha amarela era uma “mousse” de limão siciliano que explodia na boca – para mim, os dois melhores (mas, comemos todos).
Pé para cima com um saco de gelo, aguardando a hora do jantar. E aí mais uma surpresa: uma cesta de frutas naturais e cristalizadas é entregue no quarto com um cartão de boas-vindas do Hotel!
Às oito e meia, pontualmente, estávamos de novo no terraço para começarmos o jantar. O primeiro detalhe que nos chamou a atenção foi um banquinho que está disponível para as senhoras colocarem as suas bolsas. Nunca tínhamos visto nada igual …
Nessa refeição invertemos: pedimos somente os pratos principais. Mas antes nos apresentaram esse trio de aperitivos, com um creme gelado para beber após a degustação da direita para a esquerda. 
Os sabores foram se transformando em delícias num nível exponencial e ao final o creme “limpou” o nosso paladar para recebermos os pratos principais escolhidos… mas, êpa, ainda não foi agora que eles vieram!
Como cortesia ganhamos um filé de peixe sobre uma cama de alho-poró com um detalhe muito especial e intrigante: era só a parte verde do alho-poró que deve ter sido cozinhada à exaustão com mil outros temperos e estava primorosa. Um casamento perfeito!
Agora, sim, chegaram os pratos principais: “Le Saint Pierre en Viennoise de Pain d’Epices aux Légumes, sur son Risotto de Chou-Fleur” para DJ.
E para mim “La Selle d’Agneau rôtie en Cocotte, Comme on l’Aime en Provence” – pensa numa carne de cordeiro derretendo na sua boca …. pensou? Multiplique por 50 e você terá o resultado desse cordeirinho saborosíssimo e seus acompanhamentos perfeitos.
De sobremesa escolhi finalmente “Les Sélections Fromagères sur leur Plateau” – dois carrinhos repletos de queijos à sua disposição … de imediato pedi um Port-Salut que não comia há muito tempo, um Roquefort com um sabor totalmente diferente dos encontrados nas delis brasileiras, um “chèvre” fresco e um Reblochon muito bom! 
Devia ter escolhido, pelo menos, mais uns 5 tipos, depois me arrependi!
DJ comeu “Le Millefeuille de Pommes Sautées avec sa Sauce Caramel” que estava igualmente delicioso.
Pedi então um café e me foi entregue uma “Carte des Cafés” com 7 opções.
Esperávamos que à noite o ambiente se sofisticaria mais, porém não podíamos imaginar que fosse de altíssimo padrão no Restaurante que contempla uma estrela do Guia Michelin. Após o jantar, numa breve passeada pelos jardins, vimos novamente Rolls-Royce e dessa vez um Aston Martin na porta do hotel!
Acabou? Não!
Café da manhã de hoje no terraço do 2º andar com uma vista de tirar o fôlego. O de sempre por aqui (“pain au chocolat, croissants et pain au raisin”), mas o detalhe é o modo como são servidas as frutas! Serviço impecável!
E para finalizar, faltava conhecer a cozinha de Jacques Chibois. Foi agendado um horário – sete e meia -, e lá estávamos nós prontos para conhecer o Chef. Duas fotos tiradas com ele e o maitre do restaurante nos deu todas as explicações necessárias, matou as nossas curiosidades e percorreu cada cantinho descrevendo cada detalhe …

Hotel La Bastide Saint Antonie – 48 Avenue Henri Dunant – Grasse – Tel.: 04 93 70 94 94

Artigo original: FRANÇA – GRASSE – LA BASTIDE SAINT ANTOINE de Ricardo Gaffrée publicado [dia July 03, 2012 at 08:51PM] em .

Republicado por Eno Gastronomo

Anúncios