Maixx Limouxx ! Um pouco de história para os geeks do vinho…. rs de noreply@blogger.com (Lis Cereja) em BLOG DA LIS: Comer,Beber,Viajar.

Primeira fotogarfia publicada no artigo Maixx Limouxx ! Um pouco de história para os geeks do vinho.... rsMaixx Limouxx ! Um pouco de história para os geeks do vinho…. rs
de noreply@blogger.com (Lis Cereja) publicado em BLOG DA LIS: Comer,Beber,Viajar.

No coração do chamado “Pays Cathare” (País Cátaro, que se estendia pela zona conhecida como Occitania, atualmente a região de Languedoc), a apellation AOC Limoux se estende por 41 comunas, reunindo, com talento e maestria, vinhos espumantes (Blanquette e Crémant), brancos e tintos. Ainda mais agradável que seus vinhos é seu cenário: cidadezinhas pitorescas, paisagens naturais e antigas construções em pedras carregadas de história, com uma particularidade única: o clima de  festa! Em Limoux, festejar faz parte da natureza do lugar, com seu famoso carnaval, festivais, eventos e concertos musicais acontecendo o ano inteiro – tudo regado a vinhos e delícias da melhor qualidade. Com mais de 50 produtores na região, os principais vinhos são os Blanquette e Cremant de Limoux. Seu reconhecimento como AOC (Apellation de Origem Controlada) remonta a 1938 e 1990, respectivamente, enquanto a produção de vinhos brancos e tintos, por sua vez, remonta a 1954 e 2004.
A Blanquette de Limoux é considerada o primeiro vinho espumante branco produzido na França, criado muito antes da região de Champagne tornar-se mundialmente conhecida pelo vinho espumante Champanhe. A primeira menção em texto à Blanquette é datada de 1531, em papéis escritos pelos monges beneditinos da basílica de Saint-Hilaire. Neles, estão detalhadas a produção e distribuição da “blanquette de Saint-Hilaire” em frascos presos com rolhas. Escrituras mostram que o historiador medieval Titus Livius Patavinus (59 aC – 17 dC) comprava vinhos brancos da região de Limoux desde a época da ocupação romana na região. 
Em 1938, a Blanquette de Limoux se tornou a primeira AOC estabelecida na região de Languedoc. Enquanto a classificação é considerada recente, o vinho tem sido um tradicional acompanhamento de aperitivos e sobremesas da região. Nas últimas décadas, as regras de controle de denominação se flexibilizaram para permitir o acréscimo de uvas de variedade internacional, que substituíram parcialmente o uso da Mauzac. 
Para obter-se um legítimo AOC Blanquette de Limoux, ele deve ser elaborado com o mínimo de 90% de uvas Mauzac – apenas 10% de Chenin ou Chardonnay são autorizadas em sua composição. Ele deve ser degustado a uma temperatura de 7 a 8 graus Celsius, preferencialmente até dois anos do início da safra. A Blanquette de Limoux é perfeita para aperitivos e imediatamente confere uma atmosfera de festa e celebração. “Blanquette” significa “branco” na língua Occitana local.
O Crémant é composto por quatro cepas, sendo Chardonnay a dominante, ao lado de Chenin, Mauzac Branca e Pinot Noir.  Vinho jovem e fresco, o Crémant pode ser elaborado como branco ou rosé, e deve ser degustado em até dois anos depois de sua aquisição. Combina perfeitamente com aperitivos salgados, além de ser o acompanhante perfeito de peixes e carnes brancas, servido a 5 – 6 graus Celsius.
A principal uva da região de Limoux é a Mauzac, que produz um vinho rústico com aromas de casca de maçã. O cultivo desta cepa está em declínio pelo mundo afora, sendo o sul da França um dos poucos locais onde a Mauzac mantém uma derradeira presença. O uso de Chardonnay e Chenin Blanc no processo de vinificação levou à determinação do mínimo de 90% de Mauzac na elaboração das Blanquettes, com a dupla finalidade de manter em alta a produção desta cepa específica e a característica marcante deste tradicional e verdadeiramente único vinho. 
O Método Ancestral de Limoux
Tanto a Blanquette quanto o Crémant são elaborados pelo método tradicional e ancestral de Limoux, regido pela velha lua de março, que dá verdadeiramente às safras cultivadas o essencial de sua natureza e temperamento. Em Limoux, todos aqueles que tentaram engarrafar o vinho em outro período, que não durante a lua de março, fracassaram em conseguir a fermentação desejada. 
A fermentação de um AOC Limoux é inteiramente natural, sem recorrer à sofisticação de uma assemblage ou de envelhecimento. Por esta razão, seu corpo extremamente leve convém magistralmente a refeições com notas aromáticas e delicadamente doces, como, por exemplo, para acompanhar uma crepe Suzette ou a tradicional Gallette des Rois, o clássico bolo do Dia de Reis. 
Limoux Blanc et Rouge
Os pequenos vinhedos da região produzem deliciosos vinhos brancos à base de Chardonnay, elaborados em barris de carvalho, tipo de vinificação obrigatória na região. Estes amadurecem belamente após alguns anos de envelhecimento e fazem maravilhas quando acompanham pratos delicados à base de peixes e carnes brancas, além de combinarem muito bem com queijos do porte de Saint Félicien, Saint-Marcellin, Munster e Époisses, entre outros. Os Limoux Blanc são elaborados a partir da combinação de Chardonnay, Mauzac e Chenin. 
Para levar o nome Limoux Rouge, os vinhos devem ser constituídos de ao menos três destas seis cepas: Merlot, Côt, Syrah, Grenache, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon. Eles casam muito bem com carnes grelhados e, sobretudo, com o delicioso Fricassé de Limoux. 
Geografia privilegiada
A região de Limoux está localizada na encosta da Cordilheira dos Pireneus, sul da França, logo abaixo da fortificada cidade de Carcassonne. Seu clima é dominado pelos fortes ventos da região – os ventos secos do Atlântico e as mornas monções do Mediterrâneo. O clima mediterrâneo da região, inclusive, traz mais influências do Atlântico que qualquer outra região vinífera de Languedoc. Seu solo rochoso com argila, arenito e calcário formam um distinto terroir por toda a região, dependendo do grau de influências do Mediterrâneo ou Atlântico, além da composição da argila do solo. 
Sua topografia única, aliada à combinação de influência de seus ventos, criam as condições ideais para a maturação lenta e uniforme das uvas brancas da região. Apesar de localizada a uma latitude sulista, seu clima é mais fresco e úmido que nas demais regiões do sul da França. Sua localização na encosta dos Pireneus permite ainda que os vinhedos estejam em elevações maiores, plantados em localizações perfeitas nas colinas. 
Os produtores de Limoux incluem:
01. Anne de Joyeuse
02. Sieur D’Arques
03. Caves et Vignobles Joseph Salasar
04. Château d’Antugnac
05. Château de Gaure
06. Château Haute Bégude
07. Château Rives-Blanques
08. Château Saint Salvadou
09. Domaine de l’Aigle
10. Domaine Astruc
11. Domaine de Baron’arques
12. Domaine B. et B. Bouché – Les Chais du Soleil
13. Domaine Beirieu
14. Domaine de Bellevue
15. Domaine de Cassagnau
16. Domaine de Cassignoles
17. Domaine de Castel-Nègre
18. Domaine Collin
19. Domaine Delmas
20. Domaine Faure
21. Domaine de Fourn
22. Domaine J. Laurens
23. Domaine Jean-Louis Denois
24. Domaine Jo Riu
25. Domaine de La Bordette
26. Domaine La Croix du Barris
27. Domaine de Lamartine
28. Domaine La Maurette
29. Domaine Le Cayrol
30. Domaine Le Soulie
31. Domaine Les Hautes Terres
32. Domaine de Martinolles
33. Domaine de Mayrac
34. Domaine Menard de Ginestous
35. Domaine de Mouscaillo
36. Domaine de Peyret
37. Domaine Rosier
38. Domaine Satgé
39. Domaine Saint-Antoine Las Trillos
40. Domaine Saint-Jacques
41. Domaine de Treilles
42. Domaine des Trois Fontaines
43. Maison Antech
44. Maison Guinot
45. Vignoble Nicolas Therez
46. Vignoble des Pratx
47. Alain Cavaillès
48. Éric Fiorotto
49. Franck Schisano
50. François Laffond
51. G. et P. Mellado
52. Jean-Pascal Taudou
53. Marc Leseney
54. Pascal Pavie
55. Plô Roucarels
Grupo Sopexa: http://www.sopexa.com
Correspondente no Brasil: Caroline Putnoki Caroline.PUTNOKI@sopexa.com

Artigo original: Maixx Limouxx ! Um pouco de história para os geeks do vinho…. rs de noreply@blogger.com (Lis Cereja) publicado [dia September 21, 2012 at 02:45AM] em .

Republicado por Eno Gastronomo

Anúncios