Vinhos de Limoux na Enoteca: borbulhas, borbulhas, borbulhas….. de noreply@blogger.com (Lis Cereja) em BLOG DA LIS: Comer,Beber,Viajar.

Primeira fotogarfia publicada no artigo Vinhos de Limoux na Enoteca: borbulhas, borbulhas, borbulhas.....Vinhos de Limoux na Enoteca: borbulhas, borbulhas, borbulhas…..
de noreply@blogger.com (Lis Cereja) publicado em BLOG DA LIS: Comer,Beber,Viajar.

Post fresquinho, fresquinho, que nem os espumantes que degustamos hoje.

 

Abrimos a Enoteca hoje pela tarde para um evento super especial: apresentação de alguns vinhos da regiao de Limoux para a imprensa. Vieram alguns jornalistas e formadores de opinião, e claro, aproveitamos para degustar os espumantes também.

 

Quem organizou o evento foi a Carolina Putnoki

e a Patrícia Nudelman, da SOPEXA. Alem da Patrícia ser uma fofa, os espumantes eram interessantíssimos, portanto, foi uma tarde deliciosa.

 

Muita gente conhece ou já ouviu falar em Limoux por causa da polemica sobre o nascimento dos espumantes. E sim, é verdade. Limoux já produzia espumantes muito antes de Dom Perignon ter nascido. E provavelmente foi mesmo ali que se desenvolveu o método de espumantes, pelo menos na Franca – que depois foi super-hiper-aprimorado-e-explorado-e-marketizado em Champagne.

 

Embora muita gente tenha já ouvido falar da regiao, pouca gente já degustou os produtos de fato. Mesmo por que existe aquele preconceito besta de que “fora de Champagne não tem espumante bom”, ou então, pela falta mesmo de produtos disponíveis no mercado.

 

Aparentemente, o pessoal esta disposto a mudar essa idéia. Mesmo porque os vinhos espumantes, de Limoux, alem da historia, tem um custo beneficio interessantíssimo.

 

Degustamos quatro exemplares, dois deles sabidamente biodinâmicos – uhuuu!! . Juro que foram os que eu mais gostei. E juro também que eu não fui influenciada, pois somente depois eu fui saber que eles eram naturebas…… 😉 Mas, mais uma vez, minha experiência me confirma: não quero converter ninguém, mas eu, euzinha aqui, tenho uma predileção absurda pelos exemplares sem tanta intervenção. Não da pra descrever. Uma pureza aliada com profundidade e sinceridade. Pode parecer meio piracao de bêbado, mas quem gosta desse tipo de vinho com certeza entende o que eu estou dizendo.

 

 

Limoux Premiere Bulle : as meninas da imprensa ligada a moda piraram na embalagem cor de rosa! rs

Super fresco, citrico, bastante leve. Faz o estilo de espumante festivo, com bastante acidez e aromas de maca verde, frutas brancas, lima e limao….  


Saint-Hilaire Blanquette de Limoux 2008 :  Metodo tradicional de fermentacao em garrafa, era tambem bastante fresco e festivo, porem tinha um retrogosto que me encanta: flor de laranjeira. Mais especificamente, MEL de flor de laranjeira…. rssss…. me lembra aquelas florzinhas brancas que tinham nas ruas e que cheiravam a mel.
Antech 2008 Blanquette de Limoux Reserve Brut: Opa, opa, opa…. a brincadeira comecou a ficar mais seria. Alem do frescor, das frutas e das flores – mel de laranjeira de novo, delicia! –  ele ja tinha aquele toque de levedura, de pao fermentando, de manteiga, que lembram os grandes espumantes do mundo. Eu adoro esse cheirinho de fermento. E sim, esse aqui era bio.
Delmas Brut 2008 Cuvee Passion: Alem do nome extremamenteeeeee sugestivo, com rotulo na cor vermelha…..rss….. esse aqui era um vinhao. Ou melhor, espumantao ( credo, ficou uma palavra estranha ). Complexo, profundo, aromas e sabores mil, complexidade e acidez na medida, borbulhas correndo soltas como se fossem correntinhas de ouro subindo em direcao aos ceus. Esse produtor ja tinha um conceito altissimo na minha lista, pois faz um dos Pinot Noir mais interessantes que conheco, fora da Borgonha ( o Delmas Pinot Noir ). E agora, ganhou meu coracaozinho alcoolico de vez. 

O Crémant e a Blanquette de Limoux podem ser encontrados nas importadoras Delacroix (http://www.delacroixvinhos.com.br) e Vinos y Vinos (http://www.vinosyvinos.com.br). 

–>

Agora em Outubro, vamos aproveitar e entrar no festival de vinhos do Languedoc. Alguns desses espumantes vão ser servidos em um menuzinho fechado, com outros vinhos da regiao e pratos típicos. Vou ate trazer nosso querido Cantero para tocar algumas musicas francesas no bandoneon! Rs

 

Mas assim que eu tiver a data e o menu certinhos, aviso todo mundo.

 

Por enquanto, vou voltar para minha taca de espumante e bebericar mais um pouquinho desse liquido divino…. hehe…

Artigo original: Vinhos de Limoux na Enoteca: borbulhas, borbulhas, borbulhas….. de noreply@blogger.com (Lis Cereja) publicado [dia September 21, 2012 at 01:57AM] em .

Republicado por Eno Gastronomo

Anúncios