Novas Regras na Região de Champagne de Marcelo Oliveira em VINIFICANDO

Primeira fotogarfia publicada no artigo Novas Regras na Região de ChampagneNovas Regras na Região de Champagne
de Marcelo Oliveira publicado em VINIFICANDO

Novas Regras na Região de Champagne

Setembro 17, 2009 por Marcelo Oliveira

Esta notícia foi publicada pela portuguesa Revista de Vinhos. Matéria assinada pelo Antonio Falcão.

Região de Champanhe com novas e radicais regras

A prosperidade está lentamente a diminuir naquela que deverá ser a região vinícola mais rica do mundo. Por questões de mercado, as autoridades da região já decidiram novas regras de produção de uva, que vão implicar que este ano se produza menos 40% de champanhe.

De facto, devido a uma baixa nas vendas em 2008, os stocks de champanhe avolumam-se nas caves e armazéns das grandes empresas. Ao mesmo tempo, a região quer preservar os preços. A solução passou assim por limitar para este ano a produção de uva. Segundo escreve o jornalista Giles Fallowfield, da Decanter, “teve que se chegar a um consenso: os produtores de uva (que possuem 90% das vinhas da região) reclamavam uma produção de 10.400 Kg por hectare enquanto as grandes casas pediam um máximo de 7.500 Kg. A produção ficou assim estabelecida em 8.000 quilos por hectare (o equivalente a cerca de de 230 milhões de garrafas)”. Esta medida, diz ainda o periódico, “garante ainda um nível aceitável de rendimento para os produtores de uva”.

Só para se ter um termo de comparação podemos dizer que a produção média no ano passado foi de 14.200kg/ha, que deu origem a 405 milhões de garrafas; este ano irá haver portanto menos 44% de champanhe produzido nas adegas. Mas há que ver ainda se o preço da uva se irá manter nos altos níveis de 2008, quando o preço médio chegou aos €5,35 por quilo (€5.05 em 2007). Em Portugal, e apenas como curiosidade, é muito raro pagar-se 1 euro por quilo de uva, com a possível excepção do Alvarinho e algumas uvas brancas no Alentejo. Normalmente os preços da uva para vinhos de qualidade nem chegam a metade disso.

Esta notícia foi publicada pela portuguesa Revista de Vinhos. Matéria assinada pelo Antonio Falcão.

Região de Champanhe com novas e radicais regras

A prosperidade está lentamente a diminuir naquela que deverá ser a região vinícola mais rica do mundo. Por questões de mercado, as autoridades da região já decidiram novas regras de produção de uva, que vão implicar que este ano se produza menos 40% de champanhe.

De facto, devido a uma baixa nas vendas em 2008, os stocks de champanhe avolumam-se nas caves e armazéns das grandes empresas. Ao mesmo tempo, a região quer preservar os preços. A solução passou assim por limitar para este ano a produção de uva. Segundo escreve o jornalista Giles Fallowfield, da Decanter, “teve que se chegar a um consenso: os produtores de uva (que possuem 90% das vinhas da região) reclamavam uma produção de 10.400 Kg por hectare enquanto as grandes casas pediam um máximo de 7.500 Kg. A produção ficou assim estabelecida em 8.000 quilos por hectare (o equivalente a cerca de de 230 milhões de garrafas)”. Esta medida, diz ainda o periódico, “garante ainda um nível aceitável de rendimento para os produtores de uva”.

Só para se ter um termo de comparação podemos dizer que a produção média no ano passado foi de 14.200kg/ha, que deu origem a 405 milhões de garrafas; este ano irá haver portanto menos 44% de champanhe produzido nas adegas. Mas há que ver ainda se o preço da uva se irá manter nos altos níveis de 2008, quando o preço médio chegou aos €5,35 por quilo (€5.05 em 2007). Em Portugal, e apenas como curiosidade, é muito raro pagar-se 1 euro por quilo de uva, com a possível excepção do Alvarinho e algumas uvas brancas no Alentejo. Normalmente os preços da uva para vinhos de qualidade nem chegam a metade disso.

Artigo original: Novas Regras na Região de Champagne de Marcelo Oliveira publicado [dia September 18, 2009 at 02:30AM] em .

Republicado por Eno Gastronomo

Anúncios