Encontro da cuisine brasileira com vinhos franceses, pura magia de silviafranco em (título desconhecido)

Primeira fotogarfia publicada no artigo Encontro da cuisine brasileira com vinhos franceses, pura magiaEncontro da cuisine brasileira com vinhos franceses, pura magia
de silviafranco publicado em (título desconhecido)

Campos de lavanda e alfazema, coloridos, vibrantes e aromáticos da terra da Langue d’Oc, a língua de Occitan cujos vinhos são como a terra que lhes dá origem: elegantes, finos, mágicos, verdadeiros chevaliers para acompanhar pratos gourmets.

E foi com vinhos de lá, do vale do Rhône, de Chablis e de Bordeaux que o grupo AdVini organizou um encontro da comida brasileira com vinhos franceses na Bodega Franca. Uma festa de Babette preparada pela chef Thaís.
Antoine Leccia dos Vignobles Jeanjean de Languedoc é o CEO da Advini e revela a preocupação que  as vinícolas AdVini têm em proteger o meio ambiente, a biodiversidade, o solo e a estrutura. Praticam cultivo orgânico, usam produtos naturais aprovados, nada de química, nada de GMO e modificação genética. Preservam água, solo, biodiversidade e cenário. 760 ha de 1450 ha em 2013 serão orgânicos. Usam morcegos que comem mais de 1k de insetos por ano cada um. Desenvolvem a biodiversidade com ajuda de abelhas para dar mais equilíbrio ao solo e acelerar a polinização.
A magia da culinária brasileira com os vinhos franceses

Ostras frescas com molho de gengibre com Chablis Grand Cru Reserve de l’Obedience – Les Blanchots 2009 da Laroche (World Wine). Uma união perfeita da mineralidade e citricidade do Chablis com a textura e o gengibre das ostras.

Tartar de atum com foie gras grelhado contou com o  rosé Chateau Gassier de Cotes de Provence cuja acidez – bela acidez – casou perfeitamente com o tartar. Os rosés do Languedoc são únicos, por sua cor inimitável, frescor e especiarias.

Rabada descontraída acompanhada de poluentes cremosa e mini agrião com o Clos de l’Oratoire des Papes Les Choregies du Chateuneuf-du-Pape Ogier 2010, um tinto à base de syrah com muita fruta madura do Vale do Rhône.
O Cordeiro com crosta de menta acompanhado de batata gratin com berinjela  e queijo de cabra veio acompanhado por um Rigal Le Vin Noir Cahors 2009, um malbec de Cahors, a terra de origem da malbec. Que malbec fino e elegante!

Noix de Kobe com batata rústica com molho de shintake e alho negro veio acompanhado de um Bordeaux do lado direito, o Château Capet-Guillier de Saint-Emilion, de Antoine Moueix, um vinho mineral, concentrado, para acompanhar o Noix de Kobe.

A sobremesa se fez acompanhar por um vinho doce natural – o vin doux naturel do qual o sommelier Diego Arrebola fala no vídeo – que compete em antiguidade com o porto. E Cazes é a melhor expressão de vin doux naturel com seu Cuvée Aimé Cazes que harmonizou magnificamente com a sobremesa da chef Thaís do Bodega Franca.

AdVini, o grupo

Num universo de vinícolas empresariais e gigantescas, têm sido diversas as uniões de vinícolas familiares. É o caso da AdVini: cinco famílias cada qual com seus vinhedos, mas com uma filosofia em comum: seus vinhos expressam o terroir de onde vêm e qualidade e  diversidade são importantes. Estão no mundo todo com 1450 ha de vinhedos e vinícolas em 7 das melhores regiões de França, além de mais uma em Stellenbosch e outra no Chile, em Casablanca. Na Laroche reduziram 50% do dióxido sulfúrico, que dá dor de cabeça em muita gente.

Os vinhos da AdVini comprovam que é possível produzir vinhos de qualidade e sabor comprometidos com o meio ambiente e a saúde das pessoas.  E acompanham com sabor e elegância a alta cuisine brasileira praticada na Bodega Franca.

Artigo original: Encontro da cuisine brasileira com vinhos franceses, pura magia de silviafranco publicado [dia November 02, 2012 at 08:30PM] em .

Republicado por Eno Gastronomo

Anúncios