Interfood Todo Vino apresentou seus deliciosos vinhos rosés provençais do Château D’Esclans de Jeriel em Blog do Jeriel

Primeira fotogarfia publicada no artigo Interfood Todo Vino apresentou seus deliciosos vinhos rosés provençais do Château D’EsclansInterfood Todo Vino apresentou seus deliciosos vinhos rosés provençais do Château D’Esclans
de Jeriel publicado em Blog do Jeriel

A Interfood  Todo Vino promoveu degustação dos vinhos rosés do Chateau D’esclans, Provence, com a presença do diretor de exportação Bernard Eloy, no último dia 14 de novembro, 4a feira, às 12:00hs, no restaurante Salvatore, Rua Salvador Cardoso, 131- Itaim – São Paulo. Também estiveram presentes Bruno Airaghi – Diretor de Marketing, Edimara – Sommeliére, jornalistas e formadores de opinião. Foram degustados os seguintes vinhos:
Whispering Angel 2011 – R$ 120,90
Esclans 2011 – R$ 166,90
Lês Clans 2009 – R$  320,90
Os rosés estão na moda. Parece ser um verdadeiro must para qualquer produtor que se preze, produzir um Rosé. Não se pode olvidar que existe muito preconceito contra esse tipo de vinho, todavia, o respeitado crítico de vinhos de Portugal, João Afonso, com a erudição que lhe caracteriza afirma que “encontram-se muitos rosés sobre-alcoólicos que não cumprem a principal virtude a que se propõe – serem frescos, leves e elegantemente perfumados. Mas também há produtores a trabalhar exclusivamente para a meta “Rosé”. Nestes casos o objetivo e eventual sucesso parece ser mais fácil de alcançar.” Na realidade o Rosé não é nem tinto, nem branco. O vinho rosé possui tons que podem variar do alaranjado, passando pelo âmbar até o salmão, dependendo do tipo de uva e da fermentação. Pode ser produzido de através de uma leve maceração das uvas tintas no mosto. As uvas são prensadas em vez de espremidas, desprezando-se a casca e a maior parte de seus pigmentos antes da fermentação. Nos aromas o mais comum – e desejável – são as notas de frutas vermelhas frescas. Na paladar o sabor pode ficar entre os dos vinhos brancos e dos tintos. São ideais para refeições leves nas estações da primavera e verão. Vão bem com frutos do mar, culinária oriental e mesmo carnes e aves mais ricas. Pode ser adocicado ou seco. Enfim, estamos na primavera, estação apropriada para se desfrutar, sem nenhum preconceito, de um bom Rosé, seja do Novo como do Velho Mundo!

Bernard Eloy, Ney Ayres, Bruno Airaghi e Jeriel

Sobre o Château D’Esclans

O Château d’Esclans é uma propriedade impressionante, grande (267 ha), localizada em La Motte, a sudoeste da cidade de Draguignan, em Côtes de Provence. Comprado em 2006 por Sacha Lichine (filho de Alexis Lichine, do Château Prieuére-Lichine, em Margaux), tem 44 ha de vinhedos com diferentes tipos de uva e média de idade de 80 anos. A consultoria e a perícia de Patrick Léon (ex-Château Mouton Rothschild) e do consultor internacional Michel Rolland são usados para produzir nada menos que cinco tipos de vinho rosé e tinto. O básico Whispering Angel tem notas de morangos frescos e taninos macios. O vinho principal, Garrus, vem de lotes selecionados de algumas das videiras mais velhas e é fermentado e amadurecido em grandes barris de carvalho para ganhar corpo. Fonte: O Grande Livro dos Vinhos – 1a. Edição – Publifolha – 2012

A seguir a descrição e avaliação dos vinhos degustados:

Whispering Angel 2011 – álcool: 14% – uvas: Grenache, Cinsault, Vermentino, Tibouren, Syrah, Carignan e Mourvèdre – região: Provença (AOC Côtes de Provence) – preço: R$ 120,90 – importador: Interfood – parte do mosto não é submetido ao processo de maceração enquanto outra parte é levemente prensada. A fermentação alcoólica é feita em tonéis de aço inoxidável –  Salmão claro brilhante. Aberto nos aromas exibindo floral intenso que logo cede espaço para frutas vermelhas frescas com ênfase em morango e cereja com ampla sustentação na taça. Na boca sua entrada revela um vinho expansivo no qual o frescor logo se destaca. Álcool generoso sem incomodar no entanto. Acidez delicada, leve acento mineral e boa persistência. O caráter deste vinho é festivo, exuberante, mas foi bem à mesa. Avaliação: 89/100 pts.

 

Château D’Esclans 2011 – álcool: 13,5% – uvas: Grenache, Vermentino, Syrah, Tibouren e Cinsault – região: Provença (AOC Côtes de Provence) – preço: R$ 166,90 – importador: Interfood – parte do mosto não é submetido ao processo de maceração enquanto outra parte é levemente prensada. Uma parte do mosto é  fermentada em barris de carvalho de 600 litros e o restante  em tonéis de aço inoxidável – cor levemente mais carregada do que o vinho anterior límpida e brilhante. Apresentou notas aromáticas complexas com destaque para cítricos como laranja, tangerina e alguma especiaria. Não é exuberante nos aromas como o anterior, mas na boca se mostrou mais denso sem perder o frescor. O álcool aqui também concorre para dar boa estrutura. Acento mineral e boa acidez fazem deste vinho uma opção certa para a mesa.  Avaliação: 90/100 pts.

 

Les Clans  2009 – álcool: 13,5% – uvas: vinhas velhas de Grenache e Vermentino – região: Provença (AOC Côtes de Provence) – preço: R$ 320,90 – importador: Interfood – Noventa por cento  do mosto não é submetido ao processo de maceração ou prensagem, enquanto apenas dez por cento do mosto tem leve prensagem. A fermentação alcoólica acontece em barricas de carvalho de seiscentos litros de primeiro e segundo – a cor deste vinho foge ao padrão dos rosés que conhecemos. Trata-se de uma tonalidade alaranjada clara brilhante quase translúcida. Os aromas também são distintos, com uma deliciosa nota crocante secundada por brioches, amendôas e castanhas com ampla sustentação na taça e que modifica a cada momento. Na boca verificamos a subscrição total das sensações olfativas. Profundo, complexo, untuoso, lembra mais um vinho branco da Borgonha do que propriamente um rosé. Mas isso não é motivo para decepção, ao contrário, estamos diante de um vinho concentrado, denso, escorregadio e de tipicidade ímpar. Não é à toa que é considerado um dos rosés mais caros do mundo, mas sua elevada qualidade confirmou a fama. Persistente, termina fresco e também cresceu à mesa. Um verdadeiro “Gran Cru Classé”,  solene, formal, para ser aberto em comemorações especialíssimas e quem sabe “para limpar o paladar” antes da degustação de um grande Bordeaux ou Borgonha. Avaliação: 91/100 pts.

Artigo original: Interfood Todo Vino apresentou seus deliciosos vinhos rosés provençais do Château D’Esclans de Jeriel publicado [dia November 19, 2012 at 11:20AM] em .

Republicado por Eno Gastronomo

Anúncios